letra cifra
início | curadoria | pesquisa | critérios | textos | músicas | depoimentos | mural | busca
Ronda
Um marco da boemia paulistana, que narra o cotidiano da gente simples, o samba canção Ronda trás a famosa “cena de sangue num bar da avenida São João” que seria citada em Sampa de Caetano Veloso: “que só quando cruza a Ipiranga e a Avenida São João”.

Essas cenas são o retrato peculiar que seu autor Paulo Vanzolini faz da São Paulo boêmia e das desilusões típicas de uma cidade grande. O sensacionalismo da mídia, tão atual e impactante nos dias de hoje também está presente, com a notícia do desfecho trágico sendo destaque nos jornais do dia seguinte.

Um espelho da vida urbana, imortalizada por diversos intérpretes.

Voltar
De noite eu rondo a cidade
A te procurar sem encontrar
No meio de olhares espio em todos os bares
Você não está
Volto pra casa abatida
Desencantada da vida
O sonho alegria me dá
Nele você está

Ah, se eu tivesse quem bem me quisesse
Esse alguém me diria
Desiste, esta busca é inútil
Eu não desistia

Porém, com perfeita paciência
Volto a te buscar
Hei de encontrar
Bebendo com outras mulheres
Rolando um dadinho
Jogando bilhar

E neste dia então
Vai dar na primeira edição
Cena de sangue num bar
Da avenida São João



Paulo Emílio Vanzolini nasceu em São Paulo SP em 25 de Abril de 1924. Filho de um engenheiro, mudou-se com a família para o Rio de Janeiro quando tinha quatro anos. De volta a São Paulo em 1930, cursou o primário no Colégio Rio Branco e fez o ginásio numa escola publica, terminando o curso em 1938.

Quatro anos depois entrou para a Faculdade de Medicina, passando a freqüentar as rodas boêmias de estudantes e a compor seus primeiros sambas. Saiu da casa dos pais em 1944 e começou a trabalhar com um primo, Henrique Lobo, na Rádio América (programa Consultório Sentimental, de Cacilda Becker), sendo logo depois convocado para o Exercito, o que o obrigou a interromper os estudos.

Dois anos depois, retomou o curso de medicina, começou a dar aulas no Colégio Bandeirantes e foi trabalhar no Museu de Zoologia, da Universidade de São Paulo. Formou-se em 1947, casou no ano seguinte, e foi para os EUA, onde se doutorou em zoologia, na Universidade de Harvard.

Leia mais em “MPBnet