letra cifra
início | curadoria | pesquisa | critérios | textos | músicas | depoimentos | mural | busca
Três Nascentes
Em Três Nascentes de João Pacífico (Cordeirópolis) é a natureza a responsável por fazer a viola tocar. O sol (que nasce por detrás da serra) “dá bom dia ao galo” e a nascente “toca meu moinho”. Finalmente, na terceira estrofe, a lua branca “borda todo o céu” e “nasce o som da viola (...) fecho minha porta e sonho com você”.

Três Nascentes, por retratar a singeleza e a paixão do “caipira” pela da vida no campo, onde seu próprio lar é seu local de trabalho, onde ele tem tudo o que necessita, e sua relação com cada elemento é retratada com muita riqueza, demonstrando todo o valor que o ambiente natural tem para o caipira.


Voltar
Tenho o sol que nasce
Por detrás do morro
Dá bom dia ao galo
Primeiro a despertar
O sol aquece o pasto
O sereno corta
Abro a minha porta
E vou trabalhar

Tenho uma nascente
Que vem lá da serra
Toca meu moinho
Toca meu monjolo
Enche a lagoa
Pra molhar a horta
Sento em minha porta
Vejo florescer

Tenho a lua branca
Nasce com as estrelas
Ilumina a mata
Borda todo o céu
Nasce o som da viola
Tudo me conforta
Fecho a minha porta
E sonho com você.



Conhecido por João Pacífico - derivativo do seu temperamento, foi um dos maiores compositores da música caipira, autor de inúmeros sucessos como Chico Mulato, Cabocla Tereza, Mourão da Porteira, Pingo D’água e outras centenas de preciosidades do cancioneiro popular.

Nasceu no Núcleo Colonial de Cascalho, antiga fazenda Cascalho, zona rural de Cordeiro, hoje Cordeirópolis. Filho de José Batista da Silva, maquinista de trem da Companhia Paulista e Dona Domingas da Silva (filha de escravos e cozinheira de mão cheia) na Fazenda Ibicaba, do Cel. Levy. Sua vida na roça foi passageira, mudando-se para a cidade aos sete anos de idade, mas as lembranças da primeira infância marcariam definitivamente sua personalidade.

Por Jose Marcio Castro Alves

Leia mais em Blog do João Pacífico